Comunicação

30 de novembro de 2017 | 11:26

Como o Sintego disse o auxílio-alimentação será mantido em 2018

O auxílio-alimentação dos trabalhadores em Educação da rede estadual será prorrogado até 2018. A informação foi confirmada pela presidenta do Sintego, Bia de Lima, nesta quarta-feira (29), após várias negociações e cobranças junto a Secretaria Estadual de Educação e na Secretaria de Planejamento, para que o benefício fosse mantido, no próximo ano.

“Já vínhamos discutindo, junto a Seduce, a permanência do auxílio-alimentação, desde que a Lei que concede o benefício foi sancionada, tendo em vista que, foi colocado o prazo de 31 de dezembro, como final para pagamento do auxílio. O Sintego entende que não deveria ter prazo para vigência desta Lei, até porque, esta conquista deu um fôlego a mais para os educadores, que já recebem baixos salários", afirmou.

Bia de Lima também criticou a forma política com que o governo vem tratando o tema, já que a manutenção do auxílio já estava acertada entre Sintego, Seduce e Segplan.

“O Sintego vem lutando para conquistar o auxílio-alimentação para a categoria há muito tempo. Esta é uma das grandes conquistas que tivemos com a última greve e que certamente teve efeito positivo em toda rede. Não concordamos com o caráter eleitoreiro que o governo vem adotando para tirar proveito deste auxílio, tendo em vista que já estava acertado junto a Segplan e Seduce a manutenção do benefício”, justificou.

O Sintego vai acompanhar agora a tramitação do projeto na Alego e cobrar para sua aprovação o mais breve possível.  




Imprimir