Comunicação

05 de dezembro de 2017 | 12:00

Sintego participa do XI Encontro Estadual da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação do Estado de Goiás

A presidenta do Sintego Bia de Lima, participou na manhã desta segunda-feira (04), da abertura do XI Encontro Estadual da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação do Estado de Goiás, promovido pela União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação, UNCME-GO, na Escola de Formação de Professores e Humanidades da PUC-GO. O Encontro será estendido até esta terça-feira (05).

Representantes de 135 municípios goianos estão participando do Encontro. Na oportunidade, conselheiros, secretários municipais de educação, representantes de diversos segmentos e entes federados de vários municípios do Estado, participam de mesas de discussão e interesse, com palestrantes que contribuem para a construção dos Sistemas Municipais, Estaduais e Nacional de Educação.

Durante a abertura, a presidenta do Sintego, Bia de Lima, fez uma saudação aos participantes, reforçando a importância da atuação dos conselhos municipais, principalmente no que diz respeito à aplicação e fiscalização dos recursos públicos.

“Assim como acontece em outros municípios goianos, o Sintego está junto aos trabalhadores em Educação, acompanhando e fiscalizando a correta aplicação dos recursos públicos. Em Goiânia, por exemplo, temos acento no CME e atuamos firmes na defesa não só dos direitos dos trabalhadores, mas para garantir que os investimentos sejam realizados de forma correta”, pontuou.

Bia falou também da realização das Conferências Nacional Popular de Educação – CONAPE, em vários municípios de Goiás.

“O Sintego tem trabalhado incansavelmente para fortalecer ainda mais a Educação. A exemplo, a realização das etapas intermunicipais da Conape, que está levando discussões e temas importantes para o debate nos municípios. Para o próximo ano, estamos organizando seminários de formação em todo o estado, assim, garantiremos qualificação e condições para que possamos fortalecer a fiscalização dos recursos da educação e com isso, ele possa chegar onde realmente precisa, nos municípios e nos estados”, argumentou.  




Imprimir