Comunicação

08 de março de 2019 | 11:13

Presidenta do SINTEGO, Bia de Lima, recebe comenda Chica Machado 

 

A presidenta do SINTEGO, professora Bia de Lima, recebeu nesta quinta-feira (7), na Assembleia Legislativa de Goiás, a Comenda Chica Machado. A homenagem foi proposta pelo deputado Karlos Cabral, a mulheres goianas de diferentes áreas de atuação na vida política e social do Estado. 

Segundo o deputado, além de celebrar o Dia Internacional da Mulher, o evento tem a intenção de condecorar mulheres que tanto lutam em Goiás pelo fortalecimento do protagonismo feminino em espaços tradicionalmente machistas. “São lideranças de todas as frentes de atuação que enfrentam dificuldades impostas e contribuem significativamente pelo desenvolvimento do Estado”, disse Cabral. 

De acordo com Bia de Lima, é uma honra o reconhecimento do trabalho que realiza ao longo de tantos anos pelos/as trabalhadores/as da Educação. “Comecei a luta pela Educação há anos. Ser homenageada por isso, com a comenda Chica Machado que foi uma mulher de história tão relevante, é ter a certeza de que permaneço no caminho da luta pela Educação. Mesmo sabendo que ainda temos muito a percorrer, sei que esse é o meu propósito, lutar e garantir os direitos dos/as trabalhadores/as da categoria”, ressaltou ela. 

Comenda Chica Machado

Chica Machado foi uma mulher negra, ex-escravizada, que viveu na região de Niquelândia por volta de 1750. Segundo a pesquisadora Adélia Freitas, Chica Machado foi casada com um comerciante português com quem teve seis filhos. “Com o ouro que conseguiu, comprava escravo para libertá-los. Chica foi uma pessoa que venceu todos os obstáculos. Pessoa poderosa, que tinha poder sociopolítico e econômico, que conseguiu sair da condição de escravizada e se posicionar na sociedade”, completa a pesquisadora.

Adélia Freitas escreveu o livro “Chica Machado: um mito goiano”, após conhecer as histórias de Chica durante uma pesquisa acadêmica na região de Niquelândia. Ainda de acordo com a autora, a forma como determinados "causos" de Chica passaram de geração em geração fazem dela um mito. “Não há como confirmar se tudo o que se conta é verdade, mas o fato é que ela permaneceu na memória das pessoas”, comentou Adélia.




Imprimir