Comunicação

27 de novembro de 2019 | 16:05

Governo Estadual deixa 97% dos/as professores/as fora do reajuste do Piso

Tramita na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) o projeto de lei que reajusta os salários dos/as professores da Rede Estadual para R$ 2.557,74, que é o valor inicial do Piso Nacional dos/as Professores/as em 2019. O SINTEGO esclarece que a medida atinge apenas 3% da categoria que ainda ganha abaixo do valor do Piso Salarial. Dessa forma, apesar da cobrança do sindicato, 97% dos/as professores/as ficarão sem receber o reajuste de 4,17%, que deveria ser aplicado para toda a categoria.

Na matéria, o governo tenta justificar a proposta com a finalidade de garantir a aplicação, no Estado de Goiás, do piso salarial profissional nacional para os/as professores/as da Educação Básica do Ensino Estadual.

No entanto, o SINTEGO reitera, como já havíamos alertado antes que o projeto abrange apenas os/as professores/as que ainda não ganham o valor do Piso Salarial. Dessa forma, o Governo Estadual achata, mais uma vez, a carreira do magistério, desestimulando todos/as os/as outros/as profissionais.

Conforme o projeto apresentado, o reajuste de 4,17%, relativo ao período de 1° de janeiro a 30 de novembro deste ano, será parcelado em 12 vezes, a partir de dezembro de 2019. O SINTEGO não concorda com essa medida e exige o pagamento para toda a categoria.

A presidente do SINTEGO, professora Bia de Lima, articula junto aos/as deputados/as para que estes apresentem uma emenda no projeto de lei, que possibilite a extensão do reajuste para todos/as os/as professores/as. Caso não haja êxito, o outro recurso possível será recorrer à Justiça com o pedido de um mandado de segurança.

“O SINTEGO nunca vai concordar com o achatamento da carreira. Vamos recorrer onde for possível. O Piso Salarial é Lei! O reajuste deve ser pago para todos/as os/as os/as profissionais”, afirma Bia de Lima.

#SINTEGONALUTA




Imprimir