Comunicação

25 de março de 2020 | 09:18

NOTA DE REPÚDIO

IGNOREM O PRESIDENTE, FIQUEM EM CASA!

 

O SINTEGO vem a público repudiar o conteúdo irresponsável e mentiroso do pronunciamento feito pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, na noite desta terça-feira (24), em cadeia nacional de rádio e televisão. Desconsiderar uma pandemia dessa gravidade, é propor o genocídio da população brasileira, em especial pobres, negros/as, periféricos/as, indígenas e mulheres.

Refutando a ciência, as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e o esforço mundial em manter o isolamento social, única medida eficaz e comprovada no combate à pandemia do Coronavírus, Bolsonaro, de forma desumana, pede aos/as trabalhadores/as que priorizem o lucro das grandes empresas em detrimento as próprias vidas.

De forma completamente equivocada, o presidente presta um desserviço à população ao pedir a reabertura de escolas, alegando que os/as mais afetados/as pela Covid-19, são as pessoas mais velhas, demonstrando total desprezo com a vida da população acima dos 60 anos, que ele condena a morte. Bolsonaro descarta todos os estudos apontados até o momento de que crianças, em sua maioria, são assintomáticas e transmissoras do vírus causador da doença, principal fator pelo qual devem ficar afastadas.

Agora, mais do que nunca, defender o Sistema Único de Saúde (SUS) e nos posicionarmos contrários às posturas adotadas por Jair Bolsonaro é lutar pelo direito e pela defesa da vida de todos/as nós!

O Brasil precisa de um líder que proponha soluções e aponte medidas econômicas para contornamos essa crise, com maturidade, seriedade, verdades, apoio à ciência e sem ironias. Estamos diante da maior crise humanitária dos últimos 100 anos, não sendo aceitável piadinhas sobre o assunto, principalmente, vindas do presidente da República, que não abre mão de seus privilégios e não está à altura do cargo que ocupa.

O SINTEGO  segue mantendo as orientações dadas aos/as profissionais da Educação, tomem cuidado, lavem às mãos, ignorem o presidente e fiquem em casa!

 

 

 

 




Imprimir