Notícias

20 de dezembro de 2017 | 08:57

Projeto de Lei que mantém auxílio-alimentação para 2018 começa a tramitar na Alego

O projeto de Lei que prorroga para o ano de 2018 o auxílio-alimentação de R$500 aos servidores da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte – SEDUCE, já deu entrada na Assembleia Legislativa de Goiás.

A proposta foi lida na Comissão Mista da Alego na noite da última segunda-feira (18). O SINTEGO está acompanhando a tramitação da proposta na Alego, para assegurar sua aprovação ainda esta semana. 

O projeto de Lei nº 5167/17, propõe prorrogar o pagamento do auxílio para todo o exercício de 2018, bem como estabelece o limite de remuneração de até R$ 10 mil para a recebimento do benefício, aos servidores da SEDUCE, diferente de outras categorias do governo, onde o limite estabelecido foi de R$7 mil.

Para a presidenta do SINTEGO, Bia de Lima o auxílio-alimentação é uma importante conquista da categoria. “Infelizmente os servidores da educação ainda sofrem com salários abaixo do que deveriam receber, o auxílio-alimentação veio em boa hora. É uma conquista importante para o SINTEGO, para toda categoria que nunca havia recebido este tipo de auxílio. Esperamos e continuamos lutando para que seja mantido, em definitivo”, afirmou.

Conquistas

O auxílio-alimentação dos servidores da Educação, foi uma das conquistas da greve vitoriosa, no primeiro semestre deste ano. Após 41 dias de greve e intensas negociações com o governo do estado, o SINTEGO, conseguiu garantir ainda:

  • Serão 21% de reajuste para os administrativos, estavam há 3 anos sem nada;
  • Reajuste de 34% para contratos temporários;
  • Os professores conseguiram um reajuste de 7,64% para todas as categorias, incluindo aposentados;
  • Progressão para 448 professores do Quadro Permanente do Magistério;
  • Concurso público para 900 professores PIII e 100 administrativos;
  • Resolução do quadro transitório. O Quadro Transitório do Magistério – QTM, equipará-se a PIII, a inclusão de todos os professores que estavam nesta faixa no quadro de PIII;
  • Gratificação por Dedicação em Período Integral (GDPI) para os professores, diretores e coordenadores das escolas em tempo integral;
  • Aumento de 20% para os recursos destinados à aquisição da merenda escolar;
  • Aumento de 58% para o Pró-Escola (programa de custeio de reformas e reparos emergenciais das unidades de ensino);
  • Recriação de subsecretarias com outra nomenclatura, coordenações, as 40 estão de volta.