Notícias

23 de outubro de 2020 | 18:43

Resolução do CME/GYN dá instruções sobre o retorno das atividades presenciais em Cmeis

Mesmo com o posicionamento contrário do SINTEGO e de grande parte dos/as profissionais que atuam na Educação Infantil da Rede Municipal de Ensino de Goiânia (RME/GYN), o Conselho Municipal de Educação de Goiânia (CME/GYN) publicou na última terça-feira (23), a Resolução N° 70, que dá instruções sobre o retorno das atividades educacionais presenciais no Sistema Municipal de Ensino de Goiânia. O retorno das atividades será no dia 9 de novembro e foi determinado pelo decreto municipal N° 1851.

De acordo com a regulamentação do CME/GYN, o regime especial de atividades não presenciais não será suspenso, já que o retorno terá limite de 30% de capacidade por instituição, obedecendo protocolos estabelecidos em Nota Técnica da Secretaria Municipal de Saúde. 

Conforme o documento, para o retorno das atividades será necessário o escalonamento para o cumprimento dos protocolos sanitários. “Para a construção de planos de ação para o atendimento presencial que abarquem as especificidades do momento, recomenda-se o estudo dos Pareceres e Resoluções do Conselho Nacional de Educação – CNE, do Protocolo do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o Novo Coronavírus (COE-nCov) da Secretaria Estadual de Saúde, de publicações do Ministério Público, entre outras, a serem disponibilizadas às instruções por este Conselho”, diz a resolução.

O CME/GYN fez ainda um documento com sugestões para o Protocolo de Biossegurança para os/as profissionais. Leia aqui.

O SINTEGO segue não concordando com o retorno precipitado das atividades educacionais presenciais para a Educação Infantil em Goiânia, do ponto de vista da segurança dos/as profissionais e alunos/as, bem como pelo lado pedagógico. Seguimos pressionando para que o prefeito Iris Rezende se responsabilize pelas vidas expostas com esta medida e suspenda a decisão. O momento é de preservar vidas! 

#SINTEGONALUTA