Notícias

24 de novembro de 2020 | 19:47

Movimentação do SINTEGO retira da pauta votação de projeto que congela salário de professores/as

Após movimentação rápida e eficaz do SINTEGO, a 2ª votação do Projeto de Lei 4868/20, foi retirada da pauta e adiada para quarta-feira (25). A falta de transparência do PL, a inconstitucionalidade e a falta de isonomia para toda a categoria da Educação, chamou a atenção até da base aliada do governador Ronaldo Caiado, que questionou a quantidade de pessoas beneficiadas no projeto e a clareza do mesmo.

De acordo com o texto do PL, de autoria da Governadoria, “a partir de 1° de janeiro de 2020, será dado reajuste de 12,84%, os valores dos vencimentos dos cargos de professor (P-I e P-II) do Quadro Permanente e de professor assistente (PAA, PAB, PAC e PAD, do Quadro Transitório), ambos do Magistério Público Estadual”, deixando de fora a maioria dos/as professores/as, nível P-III e P-IV.

Para a administração estadual a aplicação do índice de reajuste do Piso Salarial de 2020 (12,84%) apenas para os cargos que ainda não chegavam ao valor, além de congelar os salários até 2022, ano do fim do mandato de Ronaldo Caiado (DEM). Ou seja, o Governo de Goiás, mais uma vez, achata a carreira do Magistério Público Estadual de forma inescrupulosa.

Na tarde desta terça-feira (24), professores/as, administrativos/as e aposentados/as da Educação, de Goiânia e do interior do Estado, participaram de uma carreata com buzinaço, na capital, para chamar a atenção da população e dos/as deputados/as, quanto as falsas promessas de Caiado e da conduta errado com a categoria.

A presidenta do SINTEGO, professora Bia de Lima, desde a última quinta-feira (19), data da 1ª votação, tem articulado com os/as parlamentares, com o objetivo de esclarecer os prejuízos do achatamento da carreira do Magistério. Após a carreata, ela continuou sua argumentação com deputados de forma presencial na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), recebendo o apoio de vários deles.

“Essa foi a forma de deixarmos bem claro para o Governo que não aceitaremos o congelamento dos nossos salários, não queremos a destruição do nosso plano de carreira. Queremos que o Caiado cumpra o que prometeu: a valorização profissional! Mas, infelizmente, já são dois anos sem absolutamente nada. Ele taxou os/as aposentados/as em 14,25%, um absurdo, não paga o Piso como deveria, muito menos a Data-Base, muitas pessoas esperam apenas as progressões para a aposentadoria e recebem só calote do Governo do Estado”, afirma Bia.

O SINTEGO ressalta que a quantidade de profissionais atingidos/as pelo projeto de lei do Governo é mínima, já que a grande maioria dos/as trabalhadores/as está nos níveis III e IV, cerca de 29 mil pessoas, já acumulam mais de 18% de perdas.

A direção do sindicato convoca a todos/as da categoria a comparecerem na Assembleia Legislativo do Estado de Goiás, nesta quarta-feira (25), às 14h, para acompanharmos a votação. Contamos com vocês!

#SINTEGONALUTA