Notícias

21 de maio de 2014 | 10:41

Eleições 2014 do Sintego transcorrem normalmente

O primeiro dia de votação para a escolha da nova direção do Sintego começou hoje (21), às 8h em todas as escolas públicas goianas onde há filiado do sindicato, na sede Central, em Goiânia, e em todas as 36 Regionais Sindicais. O prazo se encerra às 21h e será retomado amanhã (22), às 8h, também com encerramento às 21h. A presidenta do Sintego, Iêda Leal, acompanhou, junto com a Comissão Eleitoral e representantes das duas Chapas concorrentes, a abertura da urna na Central.

Estão aptos a votar os servidores da Educação sindicalizados, desde que estejam em dia com suas obrigações estatutárias e tenham se filiado ao Sintego há, no mínimo, 360 dias antes da votação, ou seja, até o dia 25 de maio de 2013.

Os servidores aposentados até o ano de 2001 votarão na sede do Sintego, na Rua 236, número 230, Setor Coimbra, também entre os dias 21 e 22, das 8 às 18 horas. Os demais aposentados poderão votar nas escolas desde que apresente o contracheque do mês de abril/2014 e documentação com foto.

Para votar, os filiados precisam levar documento pessoal com foto. Caso o nome do servidor não conste na lista de votação, este poderá votar mediante apresentação de documento com foto e contracheque do mês de abril/2014. Aqueles que não tiverem o contracheque devem levar, além do documento pessoal, o comprovante de quitação entregue pela tesouraria do Sintego.

Justiça nega pedido da Chapa 3
Integrantes da Chapa 3, que teve o registro da candidatura indeferido pela Comissão Eleitoral por desobediência ao Estatuto do Sintego, na tentativa de tumultuar o processo, acionaram a Justiça do Trabalho protocolizando nove petições pedindo a inclusão da chapa na cédula de votação; o deferimento do registro; e a restituição do prazo de campanha, com a consequente alteração da data de eleição.

No julgamento do pedido de antecipação de tutela, o juiz Washington Timóteo Teixeira Neto, da 9ª Vara do Trabalho da Comarca de Goiânia, indeferiu todos os pedidos e revogou “quaisquer decisões em sentido divergente eventualmente proferidas.”