Comunicação

29 de novembro de 2019 | 09:42

Governo de Goiás massacra funcionalismo público e quer acabar com a licença-prêmio e quinquênio

Em mais uma tentativa de prejudicar e culpabilizar os/as servidores/as públicos/as pelas mazelas do Estado, o Governo de Goiás encaminhou, por meio da Secretaria de Estado de Administração (Sead), à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), um projeto que altera o estatuto dos/as servidores e acaba com benefícios como licença-prêmio e quinquênio.

“O Governo de Goiás, definitivamente, quer culpar os/as servidores/as públicos/as pela calamidade financeira do Estado. Todos os nossos direitos e benefícios são alvos de projetos de extinção. Como vamos sobreviver em Goiás? Querem nos tirar absolutamente tudo, não podemos aceitar!”, afirma a presidenta do SINTEGO e da CUT-GO, professora Bia de Lima.

O Governo de Goiás trabalha a todo momento para vender a ideia de que os/as servidores/as públicos/as, em sua maioria, recebem bons salários, trabalham pouco, se aposentam com condições especiais e privilegiadas, o que é uma grande mentira! A atual administração de Goiás precariza o funcionalismo público, desvaloriza o trabalho fundamental destes/as profissionais, não garante direitos já conquistados e impõe retrocessos que terão impactos profundos na vida dos/as servidores/as.

O SINTEGO conclama à mobilização de todos/as os/as servidores/as públicos/as de Goiás, especialmente os da Educação, para que tais absurdos não sejam cometidos contra os/as trabalhadores/as. Precisamos nos fazer presentes na Alego, conversando com os/as parlamentares e esclarecendo a sociedade sobre as medidas equivocadas da administração de Goiás.

Alertamos ainda sobre os prejuízos da Reforma da Previdência Estadual, que inclui aumento abusivo da alíquota de contribuição, impossibilidade de aposentadoria em dois cargos, aposentadoria por média salarial e aumento no tempo de contribuição para o direito a aposentadoria.

Venha para a luta!

 

 




Imprimir