Notícias

15 de fevereiro de 2016 | 17:19

Sintego vai ao MP contra falta de transparência no processo de seleção das OSs

O Sintego foi ao Ministério Público de Goiás contra a falta de transparência na abertura dos envelopes com as propostas das OSs que pretendem assumir 23 escolas da Regional Anápolis. A presidenta Bia de Lima, acompanhada do assessor jurídico do Sintego, Geraldo Santana, foi recebida pelo promotor Fernando Krebs. Bia relatou que a direção do Sintego foi impedida pela PM de acompanhar o processo, que estava marcado para ser realizado nesta segunda, pela manhã, no auditório Lydia Poleck, na Seduce, e foi transferido sem aviso público para o Centro Cultural Oscar Niemeyer com forte aparato de segurança, inclusive a cavalaria.

Para a presidenta do Sintego, o governo de Goiás fere os princípios que regem a administração pública como a transparência, a publicidade e a impessoalidade, uma vez que os dirigentes do sindicato que representa os professores e os administrativos no Estado de Goiás foram impedidos de acompanhar a abertura dos envelopes. “O Sintego compareceu ao Oscar Niemeyer, representado por alguns de seus diretores, numa atitude clara de quem quer simplesmente acompanhar um processo que deve ser público e transparente. Infelizmente fomos impedidos pelos policiais que disseram textualmente que a ordem era impedir a entrada do Sintego, pois o Sintego é contra as OSs”.

O promotor Fernando Krebs ouviu estas e outras ponderações do Sintego. Ele afirma que está atento ao processo das OSs e deve se manifestar brevemente sobre o assunto