Notícias

07 de dezembro de 2017 | 17:21

Após pressão de entidades sindicais, conselheiras do CNE pedem vista na votação da BNCC

A pressão realizada por diversas entidades classistas, entre elas o Sintego, nesta quinta-feira (07), resultou no pedido de vistas de três conselheiras, durante a votação da nova proposta de Base Nacional Comum Curricular- BNCC, no Conselho Nacional de Educação - CNE, em Brasília. 

Representantes do Sindicatos dos Trabalhadores em Educação de Goiás- Sintego, estiveram reunidos com demais Sindicatos filiados a CNTE, durante toda esta quinta-feira, para cobrar a não votação da BNCC.

Esta é a quarta versão da BNCC, no entanto, essa minuta de documento que estava sendo apreciado pelo CNE, não foi colocado em debate com a sociedade civil organizada. Nenhuma entidade teve acesso a esse material, nem foi consultada na elaboração dessa versão. 

O pedido de vistas é mais uma vitória da pressão feita pelos sindicatos e CNTE, a direção do Sintego espera que com essa decisão a mobilização da categoria, seja ampliada, para que haja a suspensão em definitivo da proposta e uma nova discussão seja realizada, com o envolvimento dos trabalhadores e das trabalhadoras em Educação, e demais segmentos da sociedade brasileira, para que seja retomada a segunda versão  da BNCC e assim a democracia seja garantida.